quinta-feira, 1 de maio de 2014















Quero te mostrar quem sou despida de expressões, desnuda de sentimentos.
Sou trapos que vês e percebes, sou as linhas do teu pensamento.
Visões de sonhos imaginários translúcidos na memória do homem que habitas.
Sou o teu pensamento a imagem que convives, as cores que vês a vida que enxergas.
Sou tua imagem que se reflete no espelho da vida.