segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

2014 foi um grande ano

















Foi o ano do inesperado, do imprevisível...
Das portas que se fecharam, dos castelos que ruíram
O ano do inexorável, da indefinição,
Dos sonhos não realizados, das vidas perdidas 
2014 colocou um pouco de realidade na vida de cada um
As tempestades destruíram a seca desertificou
A metrópole fico sedenta o Cantareira calou
Rio Branco transbordou e a Amazônia gritou
Os rios gritaram, transbordaram e secaram
Ninguém os cuidou.
2014 o ano que ninguém quis viver, mas viveu...
Respirou e aprendeu
O Ano do desencanto e do encanto
Da cor e da palidez social, da inércia política
Da mudança que não veio, da realidade crua.
2014 um ano de perdas e ganhos
Um ano de aprendizado e frustrações,
O ano que termina com um povo falando de política na rua
Desajeitado, medroso, mas sabendo dizer “LADRÃO”
Sentiremos saudades e pensaremos por que...
 “poderíamos ter feito diferente”?...
Para sempre ficará com nos o ano de 2014...
Ano capenga meio desajeitado
Facultativo para muitos
De trabalho para vários
De furtos para todos
Adeus 2014 e obrigado por deixar uma ideia nova.
Grata pelas verdades que derramaste em nossas vidas...

                                           MariaLuizaSilva



Nenhum comentário:

Postar um comentário